You are currently viewing Dia das Crianças e Coronavírus. Como falar com os pequenos.
Cia do Bafafá - Dia das Crianças e o Coronavírus

Dia das Crianças e Coronavírus. Como falar com os pequenos.

O Dia das Crianças está chegando, e este ano será como os demais eventos, no meio de uma pandemia, com limitações e cheio de perguntas para serem respondidas.

Mas como lidar com a situação perante as crianças e adolescentes?

Preparem-se paras as perguntas e como ajudar na conscientização delas durante este período.

Já pensou como explicar aos pequenos sobre o Covid-19 e os efeitos da pandemia?

O que fazer? Devemos poupá-las? Dourar a pírula? Não falar nada ou explicar tudo?

Difícil né? Vai a dica, fale da forma como explica sobre sexo.

Mas precisamos tomar cuidados e tornar esse momento menos assustador para eles, controlar as informações e deixar o dia a dia mais seguro emocionalmente.

Falando com as crianças

A primeira coisa é estarmos calmos e serenos, para poder passar toda a segurança que os pequenos precisam neste momento.

A participação e envolvimento deles é importante, para entender toda a situação deste momento, que é histórico.

Usar uma linguagem apropriada, que pode até ser lúdica e responder da melhor forma possível todas as questões levantadas, será de suma importância para que enfrentem este período da melhor forma possível.

Lembre-se, em um mundo conectado, não dá para evitar o contato das crianças com tudo que está acontecendo.

Mesmo porque não estão indo às aulas e não estão mais com os contatos com os amigos.

Então, esconder a verdade não irá poupa-los de nada e só trará mais insegurança.

Vai a dica: devolver a pergunta quando eles indagarem sobre o assunto, para que reflitam. E ainda você sente qual o nível de conhecimento dela sobre o assunto e te dá um ponto de partida.

Tipo:

  • “Então, o que você acha de tudo isso?”
  • “Onde ouviu isso?”
  • “O que você andou ouvindo sobre isso?”
  • “Quem andou falando com você sobre isso?”
  •  “E por que você está com essa dúvida?”

Outra coisa, não faça um tratado complexo sobre o assunto, a criança  quer simplesmente respostas para suas dúvidas.

São muitas as dúvidas e quando não souber uma resposta, basta dizer “eu não sei, mas vou pesquisar”. Não minta.

Se a informação vier dos pais, com tranquilidade e sem esconder as coisas, eles passam a ter mais confiança e segurança, evitando quaisquer problemas futuros.

Notícias na Medida Certa

Muitos só ficam procurando notícias sobre a pandemia.

Manter-se informado é importante, mas evite exagero e polêmicas que poderão te irritar e estressar.

Aprenda a respeitar que o outro pense diferente de você e, eventualmente, até se desligar um pouco.

O excesso de informação é a principal causa do estresse, angústia e ansiedade neste período de quarentena.

Estudos mostram que quem se expõe mais às notícias de tragédias e mortes tem mais risco de desenvolver TEPT – Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

Procure o seu limite e consuma apenas informações relevantes para você.

E com os filhos os cuidados devem ser maior ainda.

Lembre-se, não precisa mentir para eles apenas filtrar as informações para o nível emocional deles.

Precisamos fazer uma mediação.

Adolescentes

Com os adolescentes, a conversa tem que ser balizada em outro nível.

É importante trocar informações com outros pais, isso ajuda, pois muitos adolescentes acabam procurando informações em grupos e com amigos. Estar sincronizado com os pais dos outros alunos ajuda muito.

Paulo Mendes

Paulo Mendes é ator formado pelo Teatro Escola Macunaíma. Participou de diversos espetáculos teatrais, novelas (SBT e Globo), cinema, filmes publicitários e foi indicado a vários prêmios na categoria de melhor ator. Em 2019 comemora 39 anos de carreira.